• drioliveira1902

.


Você acorda, tenta manter uma rotina semelhante a da sua vida “pré Covid”, organiza sua agenda e cria metas que deverão ser cumpridas ao longo dos dias, mas ao final da semana se dá conta de que não conseguiu concluir nem metade dos seus afazeres e se sente frustrado por isso... Tem se sentido mais desanimado e triste durante esses dias?


- Fique tranquilo, provavelmente muita gente se identifica com você!!!


Sabemos que não tem sido fácil manter a saúde física e mental durante esse momento de total fragilidade que estamos enfrentando. Alguns estudos comportamentais já têm demonstrado que o distanciamento social, a mudança drástica do dia a dia e a situação de medo e insegurança podem causar sensações de depressão e ansiedade em algumas pessoas.

Segundo um estudo de revisão sistemática feito por Brooks e  publicado recentemente no The Lancet (em março 2020): “ é possível  perceber muitos efeitos psicológicos associados ao período da quarentena e isolamento social. Foram analisados 24 estudos que envolviam mais de 11 mil residentes,  médicos e profissionais relacionados de áreas afetadas por: Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS),  Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), Gripe Suína (H1N1) ou Ébola, e observou-se que a maioria deles apontavam efeitos psicológicos negativos, principalmente em termos de confusão, raiva e até mesmo estresse pós-traumático. Alguns desses efeitos mantiveram-se num período de tempo mais alargado. 
Dentre os principais fatores de estresse identificados, sobressaem o efeito da duração do período de quarentena, os receios em relação ao vírus ou à infeção, a frustração, a diminuição de rendimentos, a informação inadequada e o estigma.

É normal sentir-se desmotivado e desanimado, porém não se deixe levar por todas essas inseguranças! Estamos aqui para te ajudar com algumas dicas básicas para que você consiga encontrar maneiras de fazer com que o isolamento seja vivido da melhor forma possível.


Pegue um bloco de notas e vamos às dicas:



1- Não se cobre tanto!


Temos a sensação de que não estamos sendo produtivos o suficiente, que deveríamos estar fazendo cursos, aprendendo uma língua nova, fazendo culinária, crochê, bordado e pintura...NÃO!

Você não precisa fazer um milhão de coisas para provar que tem tornado esse período em casa algo super produtivo!

É um momento extremamente delicado que estamos vivendo, então coloque em primeiro lugar sua saúde mental e busque maneiras para equilibrar seus sentimentos e seus afazeres, sem um sobrepor o outro.


2- Tire um tempo para se desligar do mundo!


É muito importante estar a par das notícias e o que tem acontecido na nossa comunidade, mas também é fundamental que você tire uma hora do seu dia para se desligar totalmente da TV, internet ou qualquer tipo de informação externa e focar em você.

Faça um chá, medite, olhe pela janela, ouça sua música favorita, organize seus pensamentos sem ser bombardeado pelas informações do dia a dia.


3- Organize pequenas rotinas.


Que tal pegar papel e caneta e traçar um mapa detalhando de como era sua rotina antes disso tudo? Quando criamos um “mapa físico” de nossos afazeres e atividades conseguimos encontrar coisas que são prazerosas e que podem ser o início da retomada de nossa rotina.


Comece aos poucos: acorde 10 minutos mais cedo, separe um dia para organizar uma gaveta do armário, leia uma página daquele livro que está esquecido na estante, escreva sobre seus sentimentos, passe a organizar suas refeições...

Mesmo que pareçam pequenas coisas, ao final de uma semana ou de um mês você terá se sentido mais produtivo e com a sensação de dever cumprido!



4- Movimente-se!!!


No nosso dia a dia nós andamos muito o tempo todo e com o isolamento social diminuímos drasticamente nossa mobilidade! Como mudar isso?

Evite ficar muito tempo numa posição só, coloque seu celular para despertar após longos períodos de trabalho, levante um pouco, faça um alongamento; busque profissionais que estejam trabalhando com atendimentos online para que você consiga criar uma rotina legal e segura de exercícios físicos!



5- Crie uma rede de apoio!


Nesse período nunca ficou tão claro o quanto é importante encontrar os amigos para aquele “happy our” ou passar finais de semana com os familiares.

Trocar abraços, jogar conversa fora, dar risada, contar sobre os acontecimentos da sua vida tem feito muita falta e contribuído para essa sensação de tristeza e desânimo.

E para aliviar toda essa saudade as tecnologias vem como um suporte extremamente eficiente!

- Faça chamadas de vídeo, reúna os amigos e pessoas queridas, mesmo que pela tela do computador ou do celular; Você sentirá que tem uma rede de apoio e suporte e isso tornará as coisas mais tranquilas.





E para finalizar deixamos claro que essas são só algumas dicas  que reunimos para tentar ajudar vocês durante este ano que não tem sido lá muito fácil! Mas caso precise, você pode e deve procurar profissionais capacitados que irão te amparar neste momento. E lembre-se: por mais isolado que você esteja, jamais estará sozinho!!!!

Escrito por Adriele de Oliveira.



REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA


Brooks, S. K., Webster, R. K., Smith, L. E., Woodland, L., Wessely, S., Greenberg, N., & Rubin G. J. (2020). The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence. The Lancet, 395(10227), 912-920. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30460-8

[https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2820%2930460-8]


21 visualizações
VOLTAR AO TOPO

© 2020 por Simoni Sayuri Serikawa - Wix.com